Nossos livros digitais: Direito do consumidor, sociologia, política etc. Amazon [clique aqui para acessar], um dos sites mais conceituados em livros digitais. Os livros são de minha autoria.


POLÍCIA FEDERAL: SAIBA COMO DENUNCIAR. ACESSE AQUI.

terça-feira, 29 de maio de 2012

Alexandria – filme sobre as disputas religiosas

imageO filme Alexandria conta a história de uma mulher (Hipatia) que desafiou os ditames de sua época – mulher era mero objeto masculino. A história conta o início do cristianismo,a fé judaica, a crise do Império Romano e as constantes disputas pelo Poder da Fé – qual religião tinha razão perante o criador.

As cenas são fortes diante dos combates religiosos pelas “verdades” de Deus em pleno século 391 A.D – e é o que se vê ainda, infelizmente, entre várias religiões espalhadas no mundo.

O filme

Há belos cenários, os estudos herméticos sobre astronomia e as intrigas fomentadas por conceitos religiosos fanáticos que impediam o desenvolvimento cientifico.

image

Na cena acima, o cristão (vestido de preto) provoca um cidadão romano (traje branco) quanto aos deuses e a forma como os romanos vivem. Há visíveis disputas religiosas  em nome da “Verdade de Deus”.

image

A escola de Hipatia e seus alunos. Exaltado (Cinésio, que é cristão; em pé), com as conjecturas de uma dos companheiro (Orestes, cidadão romano) que diverge sobre a complexidade dos movimentos planetários, diz a Oreste: “Deus fez assim o mundo é nada pode contradizê-Lo”. Claramente se vê o fanatismo religioso impedindo o descobrimento através da ciência.

image

Nesta cena, os corpos dos Parabolanos apedrejados pelos judeus. Luta pelo Poder da Fé.

É muito interessante ver tudo isso com tamanho realismo: o início da dominação cristã no final da idade antiga; a convivência de diferentes culturas -egípcios, judeus, cristãos e gregos pagãos –; a biblioteca de Alexandria; as aulas de Hipátia na Academia e sua obsessão pela verdade; a dificuldade de se compreender o sistema planetário e o movimento dos “errantes” (como eram chamados os 5 planetas conhecidos); os estudos de geometria; a referência aos filósofos da antiguidade, ao sistema heliocêntrico de Aristarco, e outros pensadores antigos

O Cristianismo não possui uma filosofia autentica, na verdade ele é uma cooptação da filosofia Greco-romana e egípcia. Os ensinamentos destas filosofias foram migrados para o cristianismo e posteriormente receberam uma ajudinha de Aristóteles e Santo Agostinho, o que não tem nada a ver com o filme.

Cirilo foi o grande propagador da proposta cristão na história e não ficou de fora no filme. Ele claramente propôs a conversão obrigatória. Quem não fosse cristão automaticamente deveria ser apedrejado, inclusive armou ciladas a Orestes o prefeito cristão.

Assim como Hipatia, que foi apedrejada acusada de bruxaria e ateísmo em 415 D.C Giordano Bruno foi morto pelo mesmo motivo mil e cem anos depois de Hipatia. O que notamos é a forma de atuação do cristianismo em nada mudou neste período.

Se compararmos atualmente com o conteúdo do filme veremos que ainda imperam disputas religiosas pelo Poder da Fé.

Muitas igrejas evangélicas (as que apenas veem dinheiro e deturpam as finalidade da religião, que é religar aos comportamentos fraternos, solidários e igualitários) apregoam desigualdades entre religiões, incitam seus adeptos a condenarem e até perseguirem outras religiões e religiosos.

Meditar é preciso!

Após denúncias de fraude milionária em dízimos, toda a liderança da Igreja Maranata é investigada por crimes federais
Perseguição do Irã da comunidade gay revelado
Conta inativa por mais de 6 meses torna indevida cobrança de taxas, diz TJSC
Mulheres afegãs e direitos

Imprima ou salve em PDF

Sobre o Autor:
Humanista que contribui para a efetiva aplicação do artigo 3°, da CF/1988; (objetivos fundamentais), do artigo 5°, da CF; (Direitos e Garantias Fundamentais da Pessoa Humana), do artigo 37 (princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência; principalmente sobre a moralidade administrativa) da Constituição Federal de 1988; e Tratados Internacionais sobre Direitos Humanos e Garantias Fundamentais da Pessoa Humana dos quais o Brasil é signatário. NÃO HÁ DIGNIDADE HUMANA NUMA NAÇÃO QUANDO A MAIORIA DO POVO NÃO TEM QUALIDADE DE VIDA SEJA POR: SALÁRIO MÍNIMO QUE NÃO ATENDE AS NECESSIDADES BÁSICAS (art. 7°, IV, da CF); ESCASSEZ OU AUSÊNCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA (art. 144, da CF); SERVIÇOS PÚBLICOS INEFICIENTES (LEI Nº 8.987, DE 13 DE FEVEREIRO DE 1995); IMORALIDADE DOS AGENTES POLÍTICOS (LEI Nº 8.429, DE 2 DE JUNHO DE 1992); DOENÇAS PROVOCADAS POR PRECARIEDADE NA INFRAESTRUTURA DE SANEAMENTO BÁSICO (LEI Nº 11.445, DE 5 DE JANEIRO DE 2007); OMISSÃO, NEGLIGÊNCIA DAS AUTORIDADES PÚBLICAS QUANTO AO USO INDISCRIMINADO DE AGROTÓXICOS NA ALIMENTAÇÃO HUMANA (LEI Nº 7.802, DE 11 DE JULHO DE 1989); VOTAÇÃO SECRETA DE PARLAMENTARES PARA ABSOLVER AGENTE POLÍTICO CORRUPTO..