Nossos livros digitais: Direito do consumidor, sociologia, política etc. Amazon [clique aqui para acessar], um dos sites mais conceituados em livros digitais. Os livros são de minha autoria.


POLÍCIA FEDERAL: SAIBA COMO DENUNCIAR. ACESSE AQUI.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

O voto obrigatório em países semiditatoriais

Brasil Progresso – nova manifestação pela verdadeira democracia.

image_thumb[2]

O voto é obrigatório no Brasil e em muitos outros países. Trata-se de democracias ainda não consolidadas e que possuem resquícios de governos fascistas, ditatoriais.

Os cidadãos votam pela imputação a que são submetidos sob punições quando não votarem:

  1. Não poderá inscrever-se em concurso público;
  2. Não poderá obter passaporte ou carteira de identidade;
  3. Não poderá renovar matrícula em estabelecimentos de ensino oficial;
  4. Não poderá obter empréstimos em estabelecimentos de crédito mantidos pelo governo;
  5. Não poderá participar de concorrência e praticar qualquer ato para o qual se exija quitação do serviço militar ou imposto de renda;
  6. Se o eleitor deixar de votar em três eleições consecutivas, seu título será cancelado;
  7. Pagar multa de 3 reais (três reais).

 

Quando há votação obrigatória o desenrolar é assim seja no primeiro turno ou no segundo turno:

  1. Votos nulos e brancos – insatisfação diante dos candidatos ou a corrução no meio político;
  2. Voto de oposição – quando o cidadão não quer que candidato específico seja eleito ou reeleito vota em candidato opositor.

É fácil ver que o voto obrigatório serve muito bem para manobras políticas de interesses pessoais (candidatos), partidários, e não ao interesse do bem-estar do povo.

É a velha história de “voto, mas obrigado”. No consenso popular o voto é condição obrigatória e até de oportunidades – quando o povo é ignorante ao valor do voto na condução política do país e os resultados advindos quando os votos são conscientes ou meros atos de oportunidades, ou seja, benéfico ou prejudiciais – diante de sistema que favorece aos cidadãos corruptos que usam as máquinas administrativas dos governos (federal, estadual e municipal) para se beneficiarem.

As manobras políticas assim se fazem:

  1. Se escolhe um candidato que tenha mais carisma ao povo ou que fez algo no passado mesmo que tenha lesado o povo – é a condição mental de “furtou, mas fez algo”;
  2. Procura-se atacar o candidato opositor através de suas falhas, do não cumprimento de promessas anteriores, de opiniões subjetivas;
  3. Produz-se boatos para desacreditar certo candidato – usa-se tal tática em locais públicos com pessoas que se apresentam como simples cidadãos do cotidiano;
  4. Promessas de empregos, dentaduras etc. – que serve bem aos que estão esquecidos pelos poderes públicos e para sobreviverem aceitam qualquer coisa, pois o que importa é o hoje e, amanhã, Deus dará;
image

Nos jogos de manobras políticas, o voto obrigatório serve para controlar o povo de forma a fazê-lo escolher a quem interessa (partidos, pessoas gananciosas, não preocupadas com o bem-estar do povo). É a falsa condição de “liberdade” de escolha através do voto.

O voto democrático em países democraticamente consolidados

O voto, quando não obrigatório, legítimo há vontade popular sem a coercibilidade para se votar.

Este tipo democrático é o mais viável uma vez que os governos (federal, estadual e municipal) devem constantemente fornecer instruções, informações, qualificações aos cidadãos. Estes, por sua vez, cobram satisfatoriamente seus direitos aos políticos; além disto, sabem exatamente para que servem os políticos, seus deveres, os processos licitatórios e identificar superfaturamentos (exemplo: obras emergenciais nos quais não precisam de licitação e, claro, preferível por políticos corruptos junto com lobistas também corruptos).

No Brasil a maioria do povo brasileiro é ignorante politicamente e não há mudanças verdadeiras nesta condição. Por quê? Controle.

Quando muitos nada sabem, ou pouco sabem, minorias controlam. A ignorância é chaga que torna os seres humanos escravos de outros seres humanos inescrupulosos.

Sem conhecimento de direitos é fácil ser manipulado, e vemos constantemente nos telejornais, exemplos:

  • Advogados – não informa o direito do cliente de ser informado ou cobra por informações de interesse do cliente;
  • Políticos – promessas inviáveis;
  • Policiais – dizem que o cidadão está errado como forma de obter dinheiro para livrar o “infrator”;
  • Estelionatários – promete, vende, o que não pode;
  • Lobistas – burlas os direitos dos consumidores já que os cidadãos desconhecem seus direitos.

image

Há várias táticas para se manipular a opinião pública e manter o povo hipnotizado:

  1. *Constroem-se estádios em vez de escolas;
  2. *Há grandes investimentos nos esportes sem, contudo, investir igualmente ou a mais em educação;
  3. *Aprovações automáticas em escolas, colégios e universidades;

* Noticiários de desenvolvimento, comprar, reformas, sem, contudo, resolver eficientemente os problemas;

* Lentidão nas obras de forma a deixar para o próximo governo do reeleito.

 

No processo de hipnose, o que importa é dar a sensação de desenvolvimento,de luta por melhorias. E é fácil ver as mentiras quando se fazem perguntas e se vê a realidade:

  1. O crescimento econômico no país diminuiu as desigualdades sociais?
  2. O crescimento econômico no país aumentou substancialmente a rede de esgoto sanitário diminuindo a poluição dos solos e bacias?
  3. O crescimento econômico no país proporcionou aumento de salário mínimo de forma que o cidadão viva com dignidade?
  4. O crescimento econômico no país deu qualidade ao cidadão que usa os transportes públicos?
  5. O crescimento econômico no país diminuiu a cesta básica?
  6. O crescimento econômico no país proporcionou a compra da casa própria a preços populares e em localidades sem riscos de erosão, desabamento?
  7. O crescimento econômico no país proporcionou rede de hospitais públicos capazes de curar prontamente os doentes e até oferecerem saúde preventiva?
  8. O crescimento econômico no país deu aos cidadãos a capacidade de se profissionalizarem, requalificarem?
  9. O crescimento econômico no país deu o devido valor aos professores, policiais, bombeiros?
  10. O crescimento econômico no país viabilizou ensino e pesquisas tecnológicas?
  11. O crescimento econômico no país incentivou as indústrias brasileiras, aos pequenos empreendedores?

 

E quanto à eficiência da justiça no Brasil:

  1. Ela condena satisfatoriamente quem lesa o patrimônio público?
  2. Ressocializa os detentos?
  3. Descobre a tempo falcatruas precoces de agentes públicos em geral?
  4. Não há diferença se rico ou pobre, branco ou negro?
  5. Efetua condenações de agentes públicos (políticos) de forma que venha a cometer os atos de lesa á pátria?

imageNão seja manipulado. escreva sua História, a sua vida. Tenha qualidade de vida real, que não é ter somente bens de consumo. Qualidade de vida é ter saúde, esgoto canalizado, ruas asfaltadas, voto facultativo, transporte público eficiente, confortável, seguro. Alimentos sem os pesticidas cancerígenos, que se usam nas lavouras brasileiras e já foram proibidos e banidos na maioria dos países.

Reflita, busque, estude sempre, atue.

Imprima ou salve em PDF

Sobre o Autor:
Humanista que contribui para a efetiva aplicação do artigo 3°, da CF/1988; (objetivos fundamentais), do artigo 5°, da CF; (Direitos e Garantias Fundamentais da Pessoa Humana), do artigo 37 (princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência; principalmente sobre a moralidade administrativa) da Constituição Federal de 1988; e Tratados Internacionais sobre Direitos Humanos e Garantias Fundamentais da Pessoa Humana dos quais o Brasil é signatário. NÃO HÁ DIGNIDADE HUMANA NUMA NAÇÃO QUANDO A MAIORIA DO POVO NÃO TEM QUALIDADE DE VIDA SEJA POR: SALÁRIO MÍNIMO QUE NÃO ATENDE AS NECESSIDADES BÁSICAS (art. 7°, IV, da CF); ESCASSEZ OU AUSÊNCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA (art. 144, da CF); SERVIÇOS PÚBLICOS INEFICIENTES (LEI Nº 8.987, DE 13 DE FEVEREIRO DE 1995); IMORALIDADE DOS AGENTES POLÍTICOS (LEI Nº 8.429, DE 2 DE JUNHO DE 1992); DOENÇAS PROVOCADAS POR PRECARIEDADE NA INFRAESTRUTURA DE SANEAMENTO BÁSICO (LEI Nº 11.445, DE 5 DE JANEIRO DE 2007); OMISSÃO, NEGLIGÊNCIA DAS AUTORIDADES PÚBLICAS QUANTO AO USO INDISCRIMINADO DE AGROTÓXICOS NA ALIMENTAÇÃO HUMANA (LEI Nº 7.802, DE 11 DE JULHO DE 1989); VOTAÇÃO SECRETA DE PARLAMENTARES PARA ABSOLVER AGENTE POLÍTICO CORRUPTO..